Suspeito de homicídio se apresenta à DP de Três Passos

0
220
Vitima Jefferson Wildner

O autor do homicídio que vitimou Jeferson Wildner, na madrugada do último sábado, 30, se apresentou à Polícia Civil de Três Passos. Porém, segundo o delegado Marion Volino, ele se negou a prestar depoimento.

A Polícia Civil recebeu informação de que a vítima devia um valor em dinheiro para o acusado. Esse fato, segundo o delegado, está sendo investigado e, caso seja confirmado, “qualifica o homicídio, pois teria sido cometido por motivo fútil”, afirma o delegado. Jeferson Wildner não possuía antecedentes criminais.

Jeferson morreu após ser atingido por socos, pontapés e uma coronhada na cabeça na Avenida Santos Dumont, no centro da cidade.

A investigação apurou que a vítima estava há poucos minutos no local quando foi chamado por um homem, logo depois da meia-noite. Os dois começaram a conversar e, em seguida, o acusado iniciou as agressões.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o autor das agressões, além de usar uma arma para dar uma coronhada na cabeça da vítima, também se utilizou da pistola para intimidar quem estava por perto e evitar que se aproximassem para ajudar o jovem.

A polícia conseguiu identificar testemunhas por meio de câmeras de segurança e, ao longo da segunda-feira, tentou ouvir mais pessoas para esclarecer o caso.

O autor do homicídio que vitimou Jeferson Wildner, na madrugada do último sábado, se apresentou à Polícia Civil de Três Passos. Porém, segundo o delegado Marion Volino, ele se negou a prestar depoimento.

A Polícia Civil recebeu informação de que a vítima devia um valor em dinheiro para o acusado. Esse fato, segundo o delegado, está sendo investigado e, caso seja confirmado, “qualifica o homicídio, pois teria sido cometido por motivo fútil”, afirma o delegado. Jeferson Wildner não possuía antecedentes criminais.

Jeferson morreu após ser atingido por socos, pontapés e uma coronhada na cabeça na Avenida Santos Dumont, no centro da cidade.

A investigação apurou que a vítima estava há poucos minutos no local quando foi chamado por um homem, logo depois da meia-noite. Os dois começaram a conversar e, em seguida, o acusado iniciou as agressões.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, o autor das agressões, além de usar uma arma para dar uma coronhada na cabeça da vítima, também se utilizou da pistola para intimidar quem estava por perto e evitar que se aproximassem para ajudar o jovem.

A polícia conseguiu identificar testemunhas por meio de câmeras de segurança e, ao longo da segunda-feira, tentou ouvir mais pessoas para esclarecer o caso.

FONTE: Com informações do Site da Rádio Alto Uruguai

RESPONDER

Por favor digite um comentário
Preencha seu nome