Oficina de Plantas Bioativas é realizada na APAE de Tenente Portela

0
69

Com o objetivo de resgatar, valorizar, preservar, promover e qualificar iniciativas em plantas medicinais a Emater/RS-Ascar promoveu na terça-feira, 23, uma oficina pedagógica abordando o tema Plantas Bioativas. Na atividade realizada na sede da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Tenente Portela, foi ministrada uma palestra e prática de identificação de plantas medicinais pela assistente técnica social regional, Silvana Canova.

Participaram da oficina as mães dos alunos da APAE, as representantes da diretoria da entidade Elenir Terezinha de Carli e Nelma Salamon Sinhori, a assistente social Gisele de Azevedo, as extensionistas da Emater de Tenente Portela Sandra Cassol, Karen Crespan e Rosiléia de Oliveira e a supervisora Rejane Gollo Fornari.

A assistente técnica da Emater informou que o conhecimento em relação às plantas medicinais faz parte da cultura popular e é um dos patrimônios mais ricos do povo brasileiro. “Esse conhecimento tem proporcionado a execução de ações educativas que servem de instrumentos para trabalhar diversas questões relacionadas à saúde e ao ambiente. A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares no Sistema Único de Saúde promove e reconhece as práticas populares de uso das plantas medicinais na atenção à saúde e incentiva a troca de saberes e a construção de conhecimentos”, disse Silvana.

A Emater/RS – Ascar tem apoiado o cultivo ecológico de plantas medicinais através de hortos, preservando a biodiversidade e pensando no plantio como uma alternativa rentável e sustentável para a unidade produtiva familiar.

A atividade foi realizada com a adoção do método “roda de conversa”, em que as mães puderam interagir e contribuir com seu conhecimento. Também foram identificadas algumas plantas utilizadas pelas comunidades tradicionais.

A oficina faz parte de um projeto da Emater-RS/Ascar com a APAE, num trabalho com pessoas com deficiência, que objetiva promover a inclusão social desenvolvendo atividades de segurança e soberania alimentar, momentos de troca de conhecimentos e saberes, ações em educação, promoção da saúde e atividade prática de implantação de horto medicinal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui