Comemora colorado, mas com os pés no chão

0
159

Saudações coloradas! E que início de Libertadores hein??

Duas vitórias, uma fora e uma em casa. Em dois jogos, são 4 pontos de diferença do segundo colocado do grupo, e as próximas duas partidas pelo certame continental serão em casa, é de encaminhar a classificação.

O desempenho da equipe na Libertadores é surpreendente, obviamente que as equipes adversárias não possuem muita tradição na competição, mas o Internacional também não entrou como favorito, e sim, o favorito da chave vem marcando passo. O River Plate, atual campeão, só tem dois pontos em dois jogos.

Ao término do jogo contra o Palestino, no Chile, na vitória de 1×0, na casa do adversário, o técnico Odair Helmann deixou claro que assim seriam os jogos na Libertadores, ele se referia a ajustar a equipe para cada jogo. Em confrontos fora de casa, uma postura mais defensiva, precavida, cautelosa, usar os contra-ataques e a bola parada, mas sempre buscando a vitória, aproveitar o momento certo.

Já em jogos em casa, a postura é outra, sendo que os atletas são os mesmos, exceção de Sobis no ataque, no lugar de Pedro Lucas. O Inter entrou em campo contra o Alianza Lima na última quarta-feira, impondo o seu jogo, tanto que nos primeiros minutos meteu uma grande pressão, e mostrando que o gol era questão de tempo, e foi pouco tempo, 7 minutos. Aos 20 minutos já estava 2×0. Apesar de que, aos 14 minutos, o goleiraço Marcelo Lomba evitou o gol de empate, mas foi só.

O jogo foi todo dominado pelo Inter, que tinha um tripé de marcação no meio campo que estavam jogando o fino da bola, com Dourado, Edenilson e Patrick, e o Pantera teve que ser substituído ainda no primeiro tempo por lesão, e entrou o garoto Nonato, que não sentiu a pressão e fez uma bela partida. Na frente, Sobis pela esquerda, Pottker pela direita e Nico Lopez centralizado, flutuando. E foi o uruguaio que brilhou, dois gols, é craque e tem estrela. Esse Nico que gostamos de ver jogar, decisivo e agressivo, é técnico e habilidoso.

Na etapa final entraram D’Alessandro e Pedro Lucas, o padrão do time se manteve, só não aconteceram mais gols, muito porque o Inter não quis, reduziu o ritmo, pois já havia construído uma vitória antes da primeira metade da etapa inicial, e o adversário pouco ameaçou, foi mais é cuidadoso mesmo, para não ser goleado.

E domingo tem greNAL, e será na Arena da OAS. Claro que clássico é clássico, e vice-versa. O Coirmão vem de uma derrota em casa pela Libertadores na terça, não está bem na competição continental, vem pressionado. Para o Inter, a questão é jogar com o mesmo espírito da Libertadores.

Pode comemorar torcedor colorado, mas sempre com os pés no chão.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui