COLORADO PORTELENSE – APITO INICIAL

0
88

Saudações a todos os leitores, iniciamos esta participação no Jornal Folha Popular para comentar, como torcedor, sobre o meu amado Sport Club Internacional, que este ano volta a participar de uma Libertadores da América.

O favoritismo na competição continental está muito longe de ser do Inter, assim como ano passado, retornou para a Série A do Brasileirão (depois de muitos anos consecutivos sendo sempre classificado como um dos favoritos) como mero coadjuvante e acabou se tornando um dos protagonistas, focando atrás somente de Palmeiras e Flamengo, que, a exemplo deste ano, possuem os melhores e mais caros planteis do futebol brasileiro.

Mas falando das atuações do Colorado, o início de ano não vem sendo muito melhor que no ano anterior, porém, neste ano já se tem uma boa base no plantel, o treinador está tendo sequência, mas ao que parece, a responsabilidade ainda está pesando na equipe. Em 2018 o time jogou sem pretensões, logo, os adversários não se preparavam o suficiente para o duelo e o Inter foi somando pontos e mais pontos, chegando até a aparecer na liderança da competição.

Em 2019 as contratações foram mais pontuais, mas a carência maior ainda está no meio e nas laterais. O jogador de Seleção, Zeca, pela direita, ainda não mostrou o seu futebol que o levou a vestir a camisa canarinho, tem qualidade, é visível, mas, é tímido em suas demonstrações. A ala esquerda tem um garoto da base, Iago, que se firmou na posição desde o ano passado, mas ainda é pouco efetivo na marcação. Por falar em marcação, a defesa Colorada, que foi uma das melhores do ano passado, está tendo um início de 2019 complicado, além de Zeca e Iago, tem a dupla de zaga Moledo e Cuesta, referências no ano anterior e que atualmente deixam a torcida com calafrios, quem se salva é sempre o implacável Marcelo Lomba. Vendo o jogo contra o Avenida no domingo, é visível a dificuldade em afastar a bola da pequena área, e a ligação com o meio e a armação de um contra-ataque, mais difícil ainda.

E o meio-campo tem sido uma lacuna difícil de preencher desde o ano passado, D’Alessandro ainda é a referência, com seus quase 40 anos de idade. Camilo veio ano passado para revezar com o argentino, não vingou, apesar de que, particularmente, gostaria que ele permanecesse no plantel. E na falta de ambos, o técnico Odair teve que improvisar, e se saiu muito bem neste quesito, conseguiu fazer com que o time jogasse bem, não com futebol bonito, mas efetivo, e a campanha no Brasileirão todos viram. Mas na reta final, esta carência foi sentida.

Bem, vamos aos pontos positivos. O uruguaio Sarrafiore chegou ano passado com grife, foi cuidadosamente preparado, mas em 2019 penso que ele poderia ter sido mais aproveitado, pois pode ser a solução na armação, e foi o autor do gol na vitória contra o Avenida, bem posicionado e com tranquilidade para botar para o fundo das redes, tendo três marcadores em sua volta. Outra boa notícia é Nonato, que também já vinha recebendo elogios ano passado. Surgiu como titular nas últimas duas partidas, se movimenta bem, arrisca chutes, tem bom passe, é persistente, o que ainda lhe falta, obviamente, a experiência, e em ano de Libertadores, será fundamental, porém, o grupo pode, e deve, lhe fornecer tranquilidade.

Ainda, na frente, Pedro Lucas é a boa surpresa, que tem em sua sombra o ídolo, a cria da base, e multi-campeão, Rafael Sobis, mas o garoto não tem se intimidado não. O veterano veio para dar experiência ao grupo, mas sabe-se que no Cruzeiro ele já tinha perdido o seu espaço, mas claro, tem muito com o que contribuir ainda. Já Neilton foi a aposta que vem dando certo, assim como Patrik no ano passado.

Ainda não falei do Odair Hellmann, que tem uma grande parte da torcida que o odeia, outra grande parte que o ama, e ainda, os que tem dúvidas. O fato é que ele recuperou o Inter, colocou o time novamente como protagonista, o que lhe falta, obviamente, é plantel, e isso não é fácil atualmente, a direção não tem muitos recursos para sustentar uma grande contratação, vejo que está sendo feito o que é possível. As vezes realmente ele peca em algumas substituições, como no último jogo onde não precisava ter sacado Pedro Lucas para a entrada de Sobis, já Sarrafiore na entrada de Pottker foi correta, o guri precisa jogar, e fez o gol e tem muito a mostrar. Odair, em muitos jogos, tem sido previsível, troca um atacante por outro, um meia por outro. Ele precisa é ler mais a equipe adversária e mexer nas suas peças para ganhar os jogos. Mas ainda acredito que ela possa, novamente, surpreender. E, finalizando, para quem acredita em coincidências, ressalto que nas melhores participações do Inter nos últimos anos na Libertadores, claro, inclusive nos títulos, atletas da base foram fundamentais na conquista. E neste ano a base colorada está sendo mais bem aproveitada.

Uma boa semana a todos, e até a próxima.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui