Corsan prepara investimentos para suprir falta de água em Tenente Portela

0
54
Corsan

Tenente Portela vem sofrendo com a estiagem que atinge a região, tanto é que o munícipio foi o primeiro do Rio Grande do Sul a ter o seu estado de emergência reconhecido pela defesa civil. A situação crítica afeta a economia, principalmente agrícola, mas já começa a causar graves problemas no abastecimento de água para o consumo humano.

Já há algum tempo o escritório local da Corsan que é chefiado por Mauricio dos Santos, o Fifo, vem divulgando alertas em relação ao consumo consciente da água, uma vez que algumas áreas da cidade vem sofrendo com a falta de abastecimento, principalmente entre o final da tarde e a entrada da noite, momento de pico para o consumo.

Há cerca de um ano a nossa reportagem já realizava uma matéria que chamava a atenção para as condições dos poços de abastecimento de Tenente Portela, que naquele momento estavam operando muito abaixo da sua capacidade. Na oportunidade Fifo já alertava a comunidade, que se não houvesse uma mudança significativa nos hábitos de consumo da população a rede de distribuição poderia entrar em colapso e a falta de água poderia se tornar um problema sério. Pois o alerta não funcionou e a Corsan está preocupadíssima com a queda de abastecimento no município.

Segundo o superintendente da Corsan, superintendência de Santo Ângelo, João Batista Corin, a situação de Tenente Portela é a mais preocupante entre os mais de 60 municípios que são atendidos nessa regional, uma vez que os reservatórios atuais estão baixos e de seis poços que foram perfurados no ano passado, quatro se mostraram ineficientes ou não deram as condições de salubridade exigida para o consumo humano.

No atual momento o município precisa ser socorrido com o uso de caminhões pipas que estão transportando água de Coronel Bicaco, para tentar suprir a necessidade do município.

João Batista informa que a Corsan está buscando alternativas para superar o desgaste hídrico pelo qual passa o município, mas ressalta que a estiagem atual é a maior desde 2002 e que segundo os prognósticos atuais ela ainda deve se agravar mais nos próximos meses, o que evidentemente deve complicar ainda mais o problema de falta de água no município.

Nesta semana o superintendente, acompanhado do engenheiro eletricista Alexandre Kunkel da Costa e da coordenadora operacional de Ijupi Evanise Teixeira, estiveram em Tenente Portela realizando um trabalho de geofísica para determinar pontos onde poderiam ser perfurados novos poços para o uso da Corsan. João Batista ainda afirmou que dentro dos próximos meses deve ser instalada um novo reservatório com o dobro da capacidade do atual, investimento que poder assegurar o abastecimento no município.

O grupo também visitou prefeitos da região, inclusive o de Tenente Portela, na intenção de buscar alternativas para suprir o déficit atual de abastecimento.

Enquanto as ações diretas não surtem efeito ou os hábitos dos portelenses não mudem drasticamente, o caminhão pipa seguirá buscando água em Coronel Bicaco para tentar repor a necessidade de Tenente Portela.

Atualmente Tenente Portela tem um reservatório com capacidade de 250 mil litros, e o projeto de construção para um de 500 mil litros já está pronto, aguardando apenas detalhes para iniciar a obra. Atualmente o município tem buscando entre 60 e 90 mil litros de água por dia em Coronel Bicaco.

Sistema Provincia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui