DE OLHO NA IDEIA – NOVO CANGAÇO

0
270

O crime organizado cresce no país. Os ataques a agências bancárias, chamados de “novo cangaço”, demonstram a fragilidade da segurança pública nacional e a capacidade de organização dos assaltantes.

Por isso, muitas coisas intrigantes começam a ser questionadas, entre elas a incapacidade da Polícia Federal em antever esses ataques. Com toda a força tarefa, bem paga, que a PF possui, não conseguiu perceber a organização e, nem mesmo, encontrar, até o momento, o grupo de assaltantes. Isso é muito preocupante e pode ser muito revelador.

O país está sentindo a consequência da fragilidade das instituições. Essas demonstrações de pura desconsideração com a estrutura institucional é fruto de uma grande sensação de impunidade que está reinando entre os diversos grupos ilegais que operam no Brasil.
São tantas forças do submundo que sequer é possível nominar. Entre muitos outros grupos criminosos estão PCC, Comando Vermelho, Milicianos de Baixo Escalão, Milicianos de Alto Escalão, Os Balas, os Manos, Amigos dos Amigos, Terceiro Comando, Bando do Maluco, parte do Exército corrupto, parte da Polícia Federal corrupta. E tudo isso sem contar as possíveis ramificações com o Senado, a Câmara e o Poder Executivo Federal e quiçá alguma parte do Supremo Tribunal Federal.

Se analisarmos todas essas possíveis ligações, podemos perceber que ataques como esses que ocorreram em Criciúma e em Cametá podem, muito bem, ser consequência da união de alguns grupos ilegais que estão confiantes na inoperância e na insuficiência de recursos e policiais para garantir a Lei e a Ordem da nação.

Por outro lado, se pensarmos na possibilidade de implantação de um Estado Policial, esses assaltos podem ser também um grande motivo para que o governo federal invista, maciçamente, em forças de segurança.

Nos jogos de estratégia da história quase sempre ocorrem “ataques de falsa bandeira”, que são aqueles ataques que visam justificar as ações de um governo, seja para entrar em uma guerra, seja para realizar investimentos em uma determinada área, justificando o deslocamento de verbas orçamentárias para projetos impopulares.

Essa violência, que gera o pânico, justifica o maior uso da força e fortalece a causa daqueles que pretendem implantar no país um Estado Policial. O Estado Policial é aquele que diminui as liberdades individuais, aumenta o controle sobre os cidadãos, aumenta a censura e faz o controle dos movimentos sociais, evitando que a população demonstre sua insatisfação.

Quanto maiores forem as ações que desencadeiam o horror e o pânico, maior é o clamor do povo por restringir suas próprias liberdades em nome da segurança. Essa pode ser uma das explicações para os ataques do “novo cangaço”. Outra explicação é de que um bando de bandidos elaborou e executou um plano perfeito de assalto a banco, assim como um bando de terroristas conseguiu escapar da CIA, do FBI, da NSA e do Pentágono e destruiu as Torres Gêmeas em 11 de setembro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui